Sobre auroras e Aurorinhas


Essa aqui é minha filhotinha caçula, a Aurorinha, quase 3 anos.


Sei que Aurora é o nome de uma das princesas da Disney, mas não foi por isso que demos esse nome a ela... 


A inspiração veio da Aurora Polar, um dos fenômenos espaciais que mais me emocionam!


As lindas luzes que enchem de cor os céus polares são chamadas Auroras Boreais (quando ocorrem no Hemisfério Norte) ou Auroras Austrais (quando acontecem no Hemisfério Sul). Apesar de ser um evento que acontece nas regiões próximas aos pólos, a Aurora não está relacionada com o frio.


Ela acontece por causa da colisão de partículas energéticas que vêm do Sol com a nossa atmosfera. As partículas energéticas são desviadas e aprisionadas pelo campo magnético da Terra (nosso escudo natural) e só conseguem adentrar na nossa atmosfera em regiões onde as linhas do campo geomagnético estão abertas (olhem a figurinha), ou seja, nas regiões polares.


Quando essas partículas colidem com os átomos e moléculas da nossa atmosfera, elas fazem com que esses elementos se excitem e liberem um fóton de Luz para retornar ao estado não-excitado.


Dependendo do elemento que foi excitado e da densidade em que ele se encontra na altitude da colisão, a Luz emitida por ele terá uma cor específica:


Vermelho: oxigênio acima de 300km de altura

Verde/amarelo: oxigênio entre 100 e 250 km

Azul/violeta/vermelho: nitrogênio  abaixo de 100km


Em 2010, eu vi minha primeira Aurora Boreal, verdinha, lá na Finlândia (onde eu fazia me segundo doutorado).

Na véspera de Natal de 2014, vi a minha mais brilhante Aurora, meio avermelhada, lá na Lapônia.

E em Outubro de 2016, vi minha vida se encher do Azul mais lindo dos olhos da minha Aurorinha bebê!


Impossível não amar as Auroras...

  • YouTube
  • Black Twitter Icon
  • Black Instagram Icon

© 2019 by Ale Pacini -  InSpace LLC.

Proudly created with Wix.com